Feitiço de amarração amorosa, magia de amor para casamento completa e com resultado, amarração amorosa para trazer seu amor de volta com um Ebô de amor para casamento

Kiumbá

Essa postagem foi retirada da internet e o link original dessa materia está no final da postagem respeitando a lei de compartilhamento de informações da internet,

Amarração Amorosa, Feitiço de alta magia com resultado, primeira consulta grátis, magia de amor para trazer amor de volta, ãmarração amorosa gratuita não cobramos mão de obra, não cobramos a primeira consulta e não cobramos para dar assistência tirar as dúvidas após o trabalho ser realizado

Kiumba

A Kiumba ou Kiumbanda como alguns chamam ( a Verdadeira Magia Negra )

Kiumbas, Quiumbas ou Exus-pagãos, são espíritos trevosos ou obsessores, são espíritos que se encontram desajustados perante à Lei, provocando os mais variados distúrbios morais e mentais nas pessoas, desde pequenas confusões, até as mais duras e tristes obsessões. São espíritos que se comprazem na prática do mal, apenas por sentirem prazer ou por vinganças, calcadas no ódio doentio. Aguardando, enfim, que a Lei os “recupere” da melhor maneira possível (voluntária ou involuntariamente). Vivem no baixo astral, onde as vibrações energéticas são densas. Este baixo astral é uma enorme egrégora formada pelos maus pensamentos e atitudes dos espíritos encarnados ou desencarnados. Sentimentos baixos, vãs paixões, ódios, rancores, raivas, vinganças, sensualidade desenfreada, vícios de toda estirpe, alimentam esta faixa vibracional e os Kiumbas se comprazem nisso, já que sentem-se mais fortalecidos.

Os Kiumbas, por não terem leis nem regras, podem se manifestar dentro de uma corrente de Kimbanda, Batuque e demais, quando a conduta for deturpada pelo médium, podendo inclusive tomar o lugar do Exu Guardião de um médium de má conduta mediúnica.
É comum médiuns que trabalham com magia negra, feitiçarias e afins terem afastadas as suas próprias entidades, que atuam somente nas leis de DEUS, e serem substituídas por pseudo-entidades que se apresentam como se fossem as suas entidades, mas são Kiumbas.
Mediunicamente, quando um Kiumba assume a frente da mediunidade de uma pessoa, devido a sua má postura e opção pelo mal propriamente dito, a vida desta pessoa tende a envolver-se de doenças, rebeldias, vícios, deturpação sexual, aversão social e intolerância ao meio, afundando-se em trevas de seus próprios desejos e vaidades.